A realidade sobre criar
uma marca de roupa do zero

Desde o início que os nossos clientes nos contam como foi o seu percurso antes de nos encontrarem. A maioria deles teve exatamente os mesmos problemas, então pensámos que seria uma boa ideia aprender com estas dificuldades.

Como começar?


Existe algo mágico na ideia de criares e desenvolveres a tua própria marca de roupa. Tal como acontece com a maioria das ideias mágicas, a realidade é muito mais dura do que o sonho.

Quando imaginamos uma marca de roupa, pensamos nos produtos que queremos, como venderíamos e a que preço. De seguida, começamos a perguntar-nos sobre um catálogo e um website e muitas outras pequenas partes do negócio.

Tudo isto é essencial se ambicionas o sucesso, mas não deve ser esquecida uma das partes mais difíceis para juntar as peças do puzzle: Encontrar um fabricante e parceiro em quem possas confiar.

Este é o ponto de partida. Entra em contacto e visita o maior número de potenciais parceiros que puderes e escolhe o que te transmitir mais segurança. Segue o teu instinto, mas escolhe com sabedoria, pois podem surgir ainda mais obstáculos se fizeres a escolha errada.

Encontrei um bom fabricante, e agora?


Mesmo encontrando um bom parceiro, podes deparar-te com algumas barreiras:

  • Encomendas que exigem grandes quantidades mínimas (MOQ)
  • Prazos de entrega extensos
  • Inconsistência na qualidade dos produtos
  • Baixa qualidade geral
  • Preços altos para pequenas quantidades


Não existem soluções fáceis para estes obstáculos.

É muito arriscado investires todo o teu orçamento em stock para superares a situação de MOQ – lê o nosso artigo: Quanto custa criar uma marca de roupa?

Prazos de entrega longos podem não ser um grande problema para uma primeira encomenda, mas imagina se precisares com urgência de produto para repor stock!

Agora imagina que encontraste um produto de boa qualidade – o que não é tão fácil quanto possa parecer – e no segundo pedido encontras uma surpresa desagradável: não há consistência nos tamanhos, nas cores e na qualidade em geral! Isto é ainda pior do que comprar um produto de baixa qualidade intencionalmente, porque não estás à espera que isto aconteça. Normalmente é preciso pagar mais caro para ter consistência na qualidade, o que derruba as tuas margens e não deixa espaço para o crescimento da tua empresa.

Porquê que estes problemas acontecem com tanta frequência?


A indústria do vestuário foi historicamente projetada para fabricar grandes quantidades. Desde a transformação da matéria-prima (que nalguns casos implica a colheita de milhares de hectares, a fiação, a tecelagem ou tricotagem, etc) que a unidade é mais barata na medida em que o volume aumenta. Ou seja, no caso dos teares, por exemplo, não é produtivo ter apenas um tear – da mesma forma que seria impensável produzir apenas 1Kg de fio (o processo é tão complexo que apenas é lucrativo quando envolve grandes quantidades). E a lógica permanece a mesma ao longo de toda a cadeia de produção: desde o corte à costura, onde a produção em massa é a norma, até à distribuição e à logística.

É daqui que vem a exigência de quantidades mínimas por encomenda e, consequentemente, longos prazos de entrega, uma vez que leva quase o mesmo tempo fabricar 50 ou 500 camisolas. O processo não é simples! E para torná-lo lucrativo em pequenas quantidades, muitas empresas veem-se obrigadas a praticar preços absurdamente altos e mesmo assim pode não ser suficiente para cobrir as despesas e/ou os custos de oportunidade.

A baixa qualidade geral do produto e/ou serviço é fácil de explicar: é uma escolha (manter os preços baixos) ou falta de profissionalismo.

A consistência da qualidade é uma das coisas mais difíceis de alcançar. É bastante comum encontrar diferentes pesos, cores, tamanhos ou qualidade em diferentes lotes. Isto pode ocorrer por múltiplos motivos: fábricas diferentes a fabricar o mesmo produto, falhas no controlo de qualidade, ou simplesmente porque assegurar lotes exatamente iguais é uma tarefa praticamente impossível (apesar das condições serem as mesmas, há muitas variáveis difíceis de controlar). É efetivamente um desafio conseguir que as produções sejam sucessivamente iguais, daí que a confiança nos fornecedores e o controlo de qualidade sejam dois aspetos essenciais neste modelo de negócio.

Estou pronto! Vamos começar a fabricar.


Depois de encontrares uma solução para os problemas mencionados acima – o que geralmente custa muito dinheiro e/ou tempo que não será investido noutras prioridades – podes começar a desenvolver os teus produtos. Aqui estão algumas etapas que precisas de executar:

  • Escolha de materiais e cores
  • Criação de padrões
  • Escolha de acessórios e detalhes
  • Produção de amostras
  • Realização de testes
  • Avaliação
  • Produção
    • Matéria-prima
    • Corte
    • Costura
    • Engomar e embalar
  • Transporte e logística


Depois disto, podes sentir que toda a tua energia e dinheiro foram desperdiçados e estás a fazer o trabalho todo do zero e com muito custo – talvez te questiones se terás feito a escolha certa.

Existe uma solução melhor?


E se houvesse outra possibilidade? E se pudesses reduzir os riscos e os investimentos? E se pudesses encontrar um parceiro que te tratasse de tudo? Para que te pudesses concentrar no que realmente faz a tua empresa crescer?

Devemos fazer o que fazemos de melhor. Fazer tudo do zero, percorrer caminhos que já outros percorreram, tem um custo de oportunidade muito elevado.

Foi isto que nos trouxe a este negócio. Como solucionadores de problemas, começamos a pensar numa forma de criarmos produtos de boa qualidade sem MOQ para pequenas marcas.


E encontramos uma solução!



Queres saber mais?


Se queres uma confeção para a tua marca, que além de criar, testar e fabricar, pode até tratar de toda a logística por ti, consulta Texponto – texponto.com

Envia-nos um e-mail usando este formulário.
A nossa equipa está pronta para te ajudar a desenvolver a tua própria marca.
Prepara-te para começares a vender!


Texponto Logo 

Thank You!